A farsa do Propósito

Hoje em dia basta pesquisar por uma palavra ou frase e rapidamente temos acesso a um conjunto de informações sobre esse assunto. Pesquisar sobre "Propósito de Vida" não é exceção. Ao fazê-lo vais descobrir uma conjunto de artigos, vídeos e informações à volta deste tema, desde como descobrir o propósito de vida, falta de propósito, qual o propósito na vida, passando por, qual o meu propósito na terra e poderia continuar com a lista de pesquisas sobre este assunto.


Nunca antes se falou sobre propósito como atualmente. Nunca antes tivemos acesso a informação, sobre este e outros temas, como atualmente. Então, qual o motivo de ficarmos muitas vezes presos nesta questão do propósito? Qual o motivo dessa busca quase que incansável por descobrir uma resposta ? Qual o motivo de tantas pessoas se sentirem angustiadas nesta busca?


Se estás aqui acredito que estás nesta busca pelo propósito e quero que saibas que compreendo o que sentes. O meu maior desejo é que não caiamos na armadilha que essa busca muitas vezes leva e possamos viver uma vida mais realizada e feliz.


Muitos questionam-me sobre como descobri o meu propósito, como percebi que o meu propósito passava pelo coaching.


Começo por dizer que eu não descobri o coaching, mas que foi o coaching que me descobriu a mim. O coaching é uma parte do meu trabalho e arrisco-me a dizer que é uma pequeníssima parte daquilo que é o meu propósito. Além de que não acordei um dia e simplesmente pensei: "o coaching é o meu propósito. Todos os meus dilemas, desafios e obstáculos desaparecem. Finalmente encontrei um sentido para a minha vida." Afirmar que uma profissão é o nosso propósito é, na minha perspetiva, redutor.


Arrisco-me a afirmar que aquilo que muitos de nós acreditam sobre o que é o propósito e de como a descoberta do mesmo os fará sentir é o motivo de vermos pessoas cada vez mais confusas e angustiadas.


Surge esta reflexão. Será que quero viver em propósito ou apenas quero que alguém me diga qual o trabalho que está destinado para mim?

Será que quero viver em propósito ou apenas encontrar um plano definido?

Será que quero viver em propósito ou que alguém me diga o que tenho de fazer?


No final do dia todos nós queremos sentir felicidade, realização por ser quem somos e por aquilo que realizamos. Mas como posso viver esta felicidade se foco permanente no exterior? Como posso viver esta felicidade se passo o dia focado em distração? Como posso viver esta felicidade se nunca existe tempo para aquilo que é importante? Como posso viver esta felicidade se espero que o dia de amanhã seja melhor que o hoje sem colocar o mínimo de energia nas coisas que digo que quero concretizar?


Poderia continuar a lista de questões como forma de reflexão, de foco no momento e maior consciência, mas para já vamos ficar com estas. Propósito é o encontro e não a busca.


Na busca o foco é colocado para fora, olho para o lado, para fora, para encontrar respostas. Qual o perigo disto? Deixo de focar no momento presente. Deixo de focar em mim para focar no outro e aguardo para perceber se a resposta do outro me satisfaz ou não.


Não quero com isto dizer que não podemos inspirar-nos em outras pessoas. Uma coisa é inspirar, outra coisa (bem diferente!) é buscar respostas no outro. Tomar consciência de que poderei estar a cair nesta armadilha, pode revelar-se um passo importante no propósito.

Momento Presente


Passamos anos e anos em piloto automático, focados em distrações à espera que o dia de amanhã seja melhor que o de hoje. Um dia acordamos e percebemos que este piloto automático já não satisfaz. Iniciamos a busca pelo sentido da vida. Muitos passam anos no mesmo local de trabalho, a fazer as mesmas tarefas e a ver as mesmas pessoas diariamente. Passam a acreditar que o problema é externo. Que mudar para outro trabalho é a solução. A partir daí tudo será diferente e encontrarei um novo sentido para a minha vida. Muitos, talvez ainda poucos, fazem-no, mudam de trabalho. Sentem entusiasmo nos primeiros meses da mudança. Ao fim de algum tempo o entusiasmo vai e volta aquele sentimento. Chegando a este ponto alguns percebem que a mudança exterior não fará diferença se algo no interior não mudar.


Com isto não estou a dizer que se estás insatisfeito no trabalho que não deves mudar, apenas quero reforçar a importância de acompanhar a mudança externa com uma mudança interna. Mudanças internas acontecem gradualmente (e não de um dia para o outro) com pequeníssima ações diárias realizadas de forma consistente. O caminho do propósito Em 2012 quando percebi que tinha sido conduzida por aquilo a que chamo a Checklist da Felicidade, tinha check só não sentia a felicidade, a pergunta que surgiu foi: "Quem é a Ana Rita?". A par desta pergunta comecei a escutar mais a Vida que me pedia "calma". O meu mundo exterior era aparentemente calmo. O meu mundo interno era um caos. Se chegaste aqui na leitura sabes do que falo. É no caminho que estão as respostas e não no resultado. O que é que a vida te está a pedir neste momento? Se houvesse uma e apenas uma palavra para descrever o que a vida te pede qual seria essa palavra? Escreve-a!

Todos os dias acorda e foca-me em ser essa pessoa. Essa palavra pode não ser a profissão, vocação e missão que almejas encontrar, mas será o caminho para viver em presença e essa presença levará-te-á a viver em propósito.

O propósito não é sobre o que fazes. O propósito é sobre quem és!


209 views0 comments

Recent Posts

See All

Subscreve a minha newsletter

Coaching

Vídeos

Política de Privacidade

Contactos

  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube