Como reages ao que te acontece?

Henry Ford disse: “quer acredites que consegues, quer acredites que não consegues estás certo”. O poder na crença é muito forte. E este poder pode ser empoderador ou enfraquecedor. Mas, afinal, quem faz esta escolha? Conscientemente ou inconscientemente somos nós. Cada um de nós, a cada momento, tem o poder de se sentir forte ou fraco (lembra-te: quer acreditas, nesta minha afirmação, quer não acredites, estás certo).

Repara ou relembra os momentos em que sentes que consegues algo. Com que atitude te apresentas? E nos momentos em que sentes que não consegues, qual a atitude que expões? Ao tomares atenção a estes aspetos, acabarás por notar que a tua atitude é muito diferente. Faz o teste e repara como a tua fisionomia, respiração, pensamentos e estado se alteram de acordo com a tua crença “consigo/não consigo”

Temos sempre escolha. Podes escolher um diálogo interno de encorajamento, motivação e entusiasmo ou de tristeza, fraqueza e desmotivação. Este é um poder que tu, eu e todos nós temos. Todos nós temos momentos em que nos sentimos tristes, magoados, feridos fisicamente e emocionalmente (sim, somos seres humanos e é normal ter estes sentimentos e emoções). O ponto de poder é reconhecer que não é o que nos acontece que dita o resultado, mas sim como escolhemos reagir ao que nos acontece.

Tanto em sessões individuais, como nos grupos que oriento, gosto de fazer a analogia entre o computador e o Ser Humano. Imagina que a mente é um computador e tu és o programador do computador. Tu tens o poder de escolher o melhor programa o mais produtivo e eficaz. O teu diálogo interno pode ser programado. E este programa irá ajudar-te a escolher a melhor atitude para apresentares. Tu tens o poder de comandar o teu computador, e o poder de fazer upgrade aos teus programas de tempos em tempos.

A voz mais influente na tua vida é a tua voz interior. Essa voz tem momentos encorajadores e momentos desencorajadores. O resultado do acontecimento depende da força que dás a esta voz. Depende se és tu que estás ao controlo ou pelo contrário é ela que está a comandar.

Durante anos, muitos de nós colocam ênfase na voz crítica e desmotivadora, acreditando em tudo o que ela diz. Esta atitude leva a baixa auto estima, mágoa, raiva, stress, inadaptação à mudança, medo, … É necessário um trabalho sério, de comprometimento, para examinar as nossas reacções. Para passar de vítimas das circunstâncias, para os comandantes da história pessoal. Este trabalho não é um acontecimento isolado, mas um processo no tempo.

4 FERRAMENTAS QUE UTILIZO PARA ME COLOCAR AO COMANDO:

1 – Descoberta dos motivos

Descobrir os motivos que te fazem querer mudar, é uma das formas para a ação. Sem motivos muito facilmente se desiste e se cai na espiral desmotivação. Os motivos que te fazem mover em direção ao resultado requer que sejam positivos, entusiasmantes, fazendo-te amplificar a crença no teu potencial sem limites. Se não tens motivos, não tens ação. Descobre os teus motivos, e relembra-os diariamente. Se não encontras motivos suficientemente fortes, pode o teu objetivo ser pouco realista ou não suficientemente atraente. Pede ajuda se não estás a conseguir encontrar motivos. Lembra-te não precisas de fazer tudo sozinho.

2 – O poder da visualização

Estudos mostram que os melhores atletas, gestores, empreendedores, cirurgiões, engenheiros, usam o poder da visualização para focar nas suas competências – aperfeiçoando-as. Nelson Mandela disse: “Eu imaginei continuamente o dia que iria sair em liberdade. Fantasiei sobre o que gostaria de fazer.” Nelson Mandela, escreveu sobre como a visualização o ajudou nos 27 anos em que esteve prisioneiro. Ele descreveu como o ponto de poder não está no que nos acontece, mas como reagimos ao que nos acontece. Usa a visualização para aumentar a tua prestação e consequentemente o teu resultado.

3 – Coaching através das afirmações

Ao repetir sistematicamente, todos os dias, aquilo que desejamos ajuda a focar a mente subconsciente no pensamento positivo. Não estou a dizer, para criar afirmações que não acreditas, mas sim afirmações que tragam poder, permitindo aumentar a crença de que é possível. Verbalizando, sentindo e visualizando cada afirmação, cada palavra com convicção. A mente subconsciente aceita tudo o que lhe é transmitido. Quando usas esta ferramenta de forma apropriada, ela proporciona sensações e emoções positivas, que te colocam no caminho da ação. Esta ferramenta é especialmente útil para reprogramar o teu diálogo interno – aquela pequena voz que ouves todo o dia. Essa voz, semeia sementes nos teus programas, e estas afetam o teu comportamento. Começa a tomar mais atenção ao teu diálogo interno e usa as afirmações no momento presente, para te ajudar a alterar os teus programas.

4 – Torna-te mais motivado através do exercício físico

Os benefícios do exercício não são apenas a nível físico, mas, também, a nível psicológico e emocional. A minha rotina envolve exercício físico, – motiva-me, mantém-me focada, traz-me entusiasmo e bem-estar. Pude comprovar como a falta de exercício me estava a colocar para baixo, pouco focada, cansaço contínuo, falta de inspiração e dificuldade em concentrar em mim e no meu diálogo interno, quando estive 3 meses sem praticar exercício. Tinha alterado a minha lista de prioridades nessa altura, e não coloquei o exercício como prioridade. Demorei 3 meses a perceber porque me andava a sentir tão cansada a nível mental, físico e emocional. Apesar de terem sido momentos de algum cansaço, ajudou-me a perceber a importância desta ferramenta. Porque não é o acontecimento em si que dita o resultado, mas a forma como escolhemos reagir ao que nos está a acontecer.


O sucesso pessoal e profissional depende de ti, começa hoje a usar algumas das ferramentas que sugiro e comprova os seus resultados. Quando apresentas uma atitude positiva o mundo torna-se num lugar bem mais pacífico e agradável.

Ana Rita Costa

0 views

Subscreve a minha newsletter

Coaching

Vídeos

Política de Privacidade

Contactos

  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube