Sinais de uma mentalidade vencedora

Cheguei a uma altura da minha vida em que sentia-me perdida, desconectada e pouco confiante em mim mesma.

Preenchi aquilo que chamo a Checklist da Felicidade - estuda, tira boas notas, sê bem comportada e um dia terás uma vida estável e feliz.

Estava a viver a minha vida estável, tinha cumprido a Checklist da Felicidade, mas só faltava uma coisa....

Uma única coisa!

E essa coisa, era SÓ a mais importante de todas: eu não me sentia feliz!


Sabes, senti-me uma completa ingrata...

Claro que naquela altura não fazia ideia do quanto nós temos o Poder, por isso era fácil para mim colocar aquilo que sentia no exterior. Mudei de trabalho e durante uns meses senti-me bem, afinal tudo era novidade, mas adivinha o que aconteceu poucos meses depois.


Exato! Aquele sentimento de ingratidão voltou. Foi então que comecei a pensar nos próximos passos. Os próximos passos seriam casar, ter filhos...ou seja, preencher o dito “normal”. Mas será que era isto que queria para mim?

Será que passados uns meses este sentimento não iria voltar?

Enquanto vivia o meu dia a dia, foram muitas as perguntas que me coloquei. Mas desta vez as perguntas passaram a focar num outro prisma!

Em vez de estar focada nos desafios que surgiam, como o medo desgraçado de cometer um erro, como o chefe que gritava porque sim e porque não, porque estava num trabalho que me consumia e do qual me sentia completamente fora do meu centro...

Passei a focar nas soluções!

Qual o meu verdadeiro receio de cometer um erro?

O problema é o chefe ou a minha habilidade para responder?

Afinal, o que concretamente me faz sair do meu centro?

O que mais gosto na função que desempenho?

O que menos gosto na função que desempenho?

Perante um desafio (e sim, eles surgem!) focar no problema é um desperdício de tempo e energia (foram alguns anos até chegar a esta simples conclusão 😉 ).

Uma das citações que mais relembro do Tony Robbins é esta: "para onde está o teu foco é para onde a energia flui".

Não basta termos uma mente é preciso estar ao comando dela. Caso contrário ela vai fluir para onde bem lhe convém. Diria que o papel da nossa mente não é fazer-nos sentir bem, o papel da nossa mente é permitir que possamos refletir.

O nosso papel, o meu e o teu, é ir atrás do que nos faz bem, encontrar soluções para os nossos desafios e com isso viver de acordo com quem desejamos ser.

Simples! Porém não é fácil.

Uma mentalidade vencedora em vez de se focar no "porquê" de algo menos positivo ter surgido, foca-se no "para quê".

Repara na diferença e no poder que isto dá.

Quando a questão se foca no "porquê" de algo menos positivo ter acontecido é adotada uma mentalidade de vítima. Vamos ao encontro de desculpas e razões externas.

Já quando questionas o "para quê" colocaste no controlo da situação.

Assumes o comando!

Assumes a Responsabilidade!

A mente que se foca no desafio, problema, a dada altura irá cair na culpa!

Culpa o evento ou acontecimento em si!

Culpa as outras pessoas.

Culpa a si mesmo.


Não estamos ao comando dos eventos, das outras pessoas, mas podemos estar ao comando da nossa vida.


Culpar só vai aumentar o sofrimento (mais uma conclusão que demorou uns aninhos a integrar).

Responsabilidade é a habilidade para responder. Ao assumir a responsabilidade, ou seja, ao exercitar esta habilidade para responder em vez de culpar, ganhas poder!

Mas eu percebo que, quando estruturamos toda uma vida para caber nos standards ditos "normais", o primeiro desafio é começar a sair desse registo.


Afinal, é preciso refletir e começar a tomar ações diferentes, mas...(eu sei que vem aí um mas!)

São as responsabilidades do dia a dia, são as obrigações, são as pessoas que precisam de mim.


Como posso mudar agora?


"Não tenho tempo para lidar com isto agora!"

Uma mentalidade vencedora irá focar-se em perguntar:


"Será que isto é uma prioridade na minha vida?"

Afinal, uma mentalidade vencedora sabe que todos nós temos exatamente as mesmas 24 horas.

Sabe que o tempo não é algo que se tenha, é algo que nos é dado. Sabe que aquilo que escolhemos fazer com o nosso tempo é da nossa inteira e completa responsabilidade.

Por isso priorizar, planear e organizar é algo que faz parte da sua lista de prioridades. Porque cada dia conta e todos os dias temos uma nova oportunidade para Ser quem viemos para Ser e para construir a vida que desejamos com confiança.

Todos os dias temos esta escolha de desenvolver este nosso músculo da mente e no final do dia essa escolha é da nossa inteira responsabilidade 😉

Aceitas assumir a responsabilidade dos teus resultados e adotar uma mentalidade vencedora?




50 views0 comments

Recent Posts

See All

Subscreve a minha newsletter

Coaching

Vídeos

Política de Privacidade

Contactos

  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube